Mayday Mayday Mayday!

Mayday Mayday Mayday!!!

É a expressão que nenhum de nós quer ter de usar.

Mas é bom saber que num cenário de emergência, as aeronaves podem ser mais rapidamente localizadas pelos serviços de Busca e Salvamento, se estiverem equipadas com um ELT ( Emergency Locator Transmitter).

Algumas aeronaves têm, a maioria não. É portanto de todo o interesse que saibamos que a entidade que, desde 1982, gere e controla as duas redes de satélites de rastreamento dos sinais rádio de emergência, a COSPAS/SARSAT,  deixou de monitorizar a frequência de rádio 121,500 MHz (e 243MHz) emitida pelos ELT’s. Válido desde o dia 1 de Fevereiro de 2009.

Significa que, uma emissão de um ELT em 121,500Mhz, por si só, não inicia automaticamente um procedimento de Busca e Salvamento (na FIR de LPPC – Lisboa, este serviço é providenciado pelo RCC, Rescue Coordination Center sob a alçada da Força Aérea) servindo no entanto de preciosa ajuda à localização da aeronave, uma vez despoletada a missão de Busca.

A COSPAS/SARSAT é um esforço internacional conjunto dos USA, da Rússia, do Canadá e da França, que em conjunto com a ICAO e a IMO (International Maritime Organization), decidiram que dadas as limitações técnicas e essencialmente, os falsos alarmes baseados no actual sistema analógico 121,500MHz mudar para um sistema mais evoluído tecnicamente.

A decisão foi tomada em Outubro de 2000, passando o sistema a processar unicamente sinais de 406MHz.

Assim, só os ELT (Emergency Locator Transmitter – Aviação), os EPIRB (Emergency Position Indicating Radio Beacon – Náutica) e os PLB (Personal Locator Beacon – Pessoal) a emitir os respectivos sinais codificados em 406MHz, serão processados pelo COSPAS/SARSAT.

As vantagens técnicas associadas a estes novos dispositivos, permitem entre outras coisas, a eliminação de grande parte dos falsos alarmes, uma maior potência e a transmissão de forma codificada, da matricula do avião, podendo inclusivamente transmitir a própria localização, desde que o ELT tenha os recursos de GPS instalados.

Para que tudo funcione, os novos ELT 406Mhz terão de ser registados, pois que a cada equipamento está associado uma identificação, ID único, que o sistema de rastreio tem de conhecer para validar a transmissão. Esse registo é feito em Portugal através da ANAC que publicou na CIA 22/06 todos os procedimentos e requisitos referentes aos novos ELT 406MHz.

Os “antigos” ELT 121,500MHz não ficam por isto inutilizados, mas a sua operacionalidade fica limitada, sendo por isso de considerar a sua troca por um dispositivo da nova geração 406.

Mais caros, é certo, mas muito mais eficazes no cumprimento da sua missão de segurança.

Para quem necessite ou queira mais informação, poderá visitar o website da COSPAS/SARSAT.

ACONSELHAMOS TAMBÉM A LER ESTE ARTIGO CAVOK.pt

Nuno Franco publicado in Revista Voar #1 APAU. Republicado 23 Dezembro 2018.

Nota: Este artigo contem links embebidos em palavras ou frases a bold, que reencaminham para outros sítios da web de interesse para o assunto do artigo.

Close Menu