Serra dos Carvalhos – in memoriam

Comemora-se no dia 1 de Julho de 2018, o 66º aniversário da Força Aérea Portuguesa, que no ano de 1952 foi constituída como ramo independente das Forças Armadas. Este ano as comemorações acontecem na cidade de Évora
Em 1955, este mesmo dia em que a Força Aérea comemorava o seu 3º aniversário, ficou ligado a uma das páginas mais negras da sua história, pois ocorreu o mais trágico e lamentável acidente da sua história que vitimou oito pilotos de F-84 Thunderjet.
Comandados pelo capitão Rangel de Lima, uma formação de doze aviões F-84 Thunderjet tinham descolado da antiga Base Aérea Nº.2  na Ota, e faziam um voo festivo pela região centro.  Não era um voo muito alto pois pretendia-se mostrar o poder e o vigor desta arma mas também, dado o tipo de formação, não seria um voo rasante. 
Estava bom tempo, tendo a região de Coimbra na generalidade boa visibilidade embora nalguns sítios, houvesse nuvens baixas e algum nevoeiro. Para o comandante da formação, aquilo não passava de nuvens baixas a sobrevoar os montes… nunca lhe passou pela cabeça que a Serra do Carvalho podia estar “por ali escondida”.
Dirigiam-se já em formação para a Ota, para participar nas comemorações, quando  o desastre aconteceu pelas 10 horas da manhã
“… uma formação daquelas voa em “escada”, os primeiros quatro da frente vão mais altos, os segundos logo atrás, mais baixos e os terceiros atrás dos segundos mais baixos ainda. Os primeiros quatro passaram à justa, sem o saber, a roçar a ponta dos pinheiros do cume da serra… Os outros oito já não passaram para o outro lado, tendo embatido contra a serra na localidade de Carvalho, concelho de Vila Nova de Poiares.”
“… requiescat in pace.”

José Rocha. 30 de Junho de 2018. Fotografias wikipedia.

Nota: Este artigo contem links embebidos em palavras ou frases a bold, que reencaminham para outros sítios da web de interesse para o assunto do artigo.

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *