FlyWeather.net – novas estações

A startup portuguesa Stingray Avionics iniciou a sua actividade em 2014 desenvolvendo projectos na área de IoT (Internet Of Things) em contexto aeronáutico com a missão de introduzir inovação no sector da aviação ligeira e ultraleve. Foi lançada em 2016 a rede de informação meteorológica que tem como principal objectivo disponibilizar informação precisa e localizada à comunidade aeronáutica, permitindo uma cobertura dos aeródromos secundários muitas vezes distantes dos principais aeroportos.

Este serviço não pretende ser um substituto do equipamento meteorológico que as autoridades – ANAC e IPMA – exigem para estabelecimento do serviço de AFIS, mas um complemento da informação disponível para os pilotos e outros operadores aeronáuticos com um objectivo: aumentar a segurança de todos os intervenientes.

No último trimestre foi ampliada a cobertura da rede FlyWeather para os aeródromos e de Mirandela e Vilar de Luz.

A FlyWeather estará também e uma vez mais presente no RedBurros em Mogadouro este ano e contamos instalar mais uma estação em Bragança para inaugurar aquando do Careto Airshow 2017.

Os links directos para as duas novas estações são:

Mirandela: http://www.flyweather.net/station.php?lang=en&station_id=32

Vilar de Luz: http://www.flyweather.net/station.php?lang=en&station_id=31

O sistema consiste numa estação meteorológica automática localizada no aeródromo e uma ou mais câmeras para avaliar as condições de visibilidade, nebulosidade e espaços terrestres e aéreos envolventes. Através do site www.flyweather.net é disponibilizada informação das estações activas em horário de funcionamento 24 horas, 7dias por semana, no formato METAR actualizado a cada 5 minutos, bem como imagens das câmeras instaladas nos aeródromos em modo de uma imagem a cada 3 minutos ou streaming de vídeo.

Os dados meteorológicos são armazenados numa cloud de informação aeronáutica e permitem análise estatística dos parâmetros meteorológicos registados. Com recurso a um smartphone ou tablet é igualmente possível, em áreas em que a rede GSM o permita, consultar esta informação em pleno voo de forma a, por exemplo, preparar alteração de destino para um aeródromo alternativo, caso a situação meteorológica se agrave mais do que o previsto, ou preparar a aproximação em função da intensidade e direcção do vento.

Paulo Correia. Stingray Avionics. 03 de Julho de 2017.

Nota Cavok.pt – O artigo publicado é da responsabilidade do seu autor e não compromete ou vincula o CAVOK.pt aos conteúdos, ideias ou intenções. O autor do artigo não recebe, nem irá receber qualquer compensação directa ou indirecta, referente à opinião expressa. O CAVOK.pt não interfere ou analisa o conteúdo pelas ideias, opiniões ou intenções mas apenas ajusta a formatação gráfica do mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *