Ponte de Sôr – Áreas de trabalho GAirG

Apesar de todas e tantas campanhas relativamente à SAFETY, Segurança Aérea existem também um sem-número de outros “buracos” que de uma forma ou de outra teremos sempre de colmatar com uma ATITUDE DEFENSIVA.

Nem sempre as Entidades, as Autoridades aeronáuticas ou prestadores de Serviços de Tráfego Aéreo estão perfeitamente alinhadas e ou providenciam, pela natureza burocráticas que estas matérias implicam a tempo real e efectivo, medidas que “salvem o dia” na prevenção de incidentes com aeronaves. Não, não é uma crítica, é apenas a natureza ou percurso normal das coisas.

Nessa perspectiva e não querendo sobrepormo-nos a essas Instituições, vamos auscultando não só as dificuldades dos pilotos em conversas de “café” do Aeroclube como consultamos e percorremos as redes sociais e verificamos desconfortos ou pequenas arestas que poderiam ser limadas e divulgadas no sentido preventivo. No limite, deveria haver fóruns públicos presenciais ou seminários todos os meses que, tenho a certeza haveria matéria suficiente e diversa, sem nos tornarmos repetitivos para apresentações de sensibilização.

O que vos trago aqui provavelmente para alguns será novidade para outros poderá ser até polémico mas não deixa de ser um “aviso à navegação”. E como este, haverá por este País de Norte a Sul muitos da qual não temos conhecimento mas que poderemos divulgar caso façam chegar ao cavok.pt .

Ponte de Sôráreas totais tem baseada uma Escola de Pilotagem que envolve aeronaves da Aviação ligeira de várias categorias inclusive helicópteros e que tem sido em crescendo não só a quantidade de aeronaves como a quantidade de voos que fazem diariamente.
A Escola tem cumprido ao longo da sua presença no Aeródromo Municipal de Ponte de Sôr todos os preceitos de segurança que lhes tem vindo a ser, não só impostos pelas Entidades Oficiais Aeronáuticas bem como, munidos de Safety Managers vão mitigando e adoptando procedimentos no sentido de colmatar patologias.

Nesse sentido adoptaram para os treinos dos seus pilotos como procedimentos locais e não publicados oficialmente, algumas áreas que podem ser observadas no mapa em anexo. Áreas ConvencionaisOs seus instrutores tendo o conhecimento e reconhecendo que estão em ESPAÇO AÉREO GOLF observando sempre o “see and avoid”, praticam as várias manobras e navegações dentro dessas áreas assinaladas na imagem, com Plano de Voo introduzido no ARO, praticando comunicações bi-laterais com os Orgãos ATC ou FIS e possuindo sempre as suas aeronaves capacidade transponder.

As três áreas principais de trabalho das aeronaves de asa fixa localizam-se a Sudeste do aeródromo de Ponte de Sôr (ALTER, BENAVILA e AVIS) com altitudes que variam entre o Chão e 4500ft.

As áreas de trabalho de helicópteros situam-se a Este, Sudeste (H1, H2 e H3) e com altitudes que variam do Chão a 1500ft.

Áreas HelisAs aeronaves nas áreas estão sempre com comunicações bi-laterais com o FIS, Lisboa Militar. Passando os Pontos GALVE, VARGE ou ARGIL usualmente contactam a frequência local de Ponte de Sôr 119.800Mhz.

O que se procura com este artigo é tão-somente um “nice to know”, um alerta que poderá evitar alguns “encontros” menos inesperados, visto estas áreas estarem inseridas em Espaço Aéreo Golf cujo o mote “ver e evitar” pode nem sempre ser conseguido a todo o tempo.

Bons voos e aterragens seguras.

José Rocha

2 comments

  • António Mateus

    Caro José Rocha, na sequência da muito útil informação aqui publicada, agradeço mais um pequeno esclarecimento. Já agora que se fala em Ponte de Sôr, que é um aeródromo que não entendo muito bem, qual é a frequência rádio que se deve utilizar? A frequência local é 119.800Mhz mas, aparentemente, utilizam ainda (ou utilizavam) 123.350MHz. Como nunca sei qual a frequência rádio correta, uma vez nas imediações do local, afasto-me calmamente numa outra direção evitando interferência com o tráfego existente na zona. Obrigado. AM

  • António lopes

    A explicação é simples, a frequência 123,350 Mhz é a frequência da proteção civil, como o aeródromo não tinha frequência atribuida era usual utilizar esta. Atualmente deve-se utilzar os 119,800 Mhz.

Responder a António lopes Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *