Já experimentou?! Pois, devia…

Existem algumas experiências pelas quais nenhum piloto e não só ( estas experiências também se aplicam a todos os entusiastas da aviação ) deveria deixar de treinar ou viver… Algumas deveriam mesmo ser obrigatórias do checklist de experiências de qualquer piloto independentemente da sua qualificação.

Quando dizemos que estas experiências devem ser vividas, não queremos de forma alguma que entenda que deve já saltar para dentro do seu cockpit e iniciar de forma solitária e autodidata estas novas formas de ver a aviação!! Como todas as experiências na área da aviação, estas devem especialmente ser encaradas de forma responsável e segura. Procure sempre um instrutor experiente e devidamente qualificado quer na aeronave quer no tipo de manobras, contacte uma escola que normalmente forneça este tipo de instrução ou serviço e assegure-se que se aconselha sempre com quem sabe.

As oito experiências que propomos servem não só para ver a aviação de modo diferente mas na maioria das vezes, para perceber que ainda tem certamente muito para aprender.

Siga-nos…

1 – Voo acrobático

Voar nivelado e estabilizado é muito agradável mas ver o mundo de pernas para o ar é inesquecível!!

A acrobacia quando feita por quem está devidamente qualificado e treinado é uma experiência única e bastante segura. Não se esqueça que para além do treino especifico do piloto de acrobacia, também a aeronave é preparada para tal. Determinadas aeronaves estão autorizadas a efectuar apenas determinadas manobras. Sentir a força G ( forças exercidas no corpo pela força gravitacional ) é uma sensação única e permite-nos perceber o quanto é difícil operar uma aeronave quando ficamos sujeitos a estas forças.

Nunca vá para um voo acrobático de estômago vazio, mas também, nunca vá de barriga cheia…

IMG_1634

2 – Aeronaves complexas

Nunca deixe passar a oportunidade de experimentar voar em aeronaves mais complexas para além daquela em que já voou ou que já possui.

Bimotores, tem retráctil, hélice de passo variável, turbo-hélice, etc. vale sempre a pena a experiência de saber como é o grau acima/diferente e perceber qual o nível de exigência a que obriga.

CAVOK.pt

3 – Planadores

Voar sem um motor não é apenas pelo silêncio ou pela tranquilidade.

Os planadores ensinam e dão ao piloto excelentes habilidades de voo. O uso de térmicas e das correntes de ar para tirar vantagem para o voo são de facto uma experiência que não esquece. A experiência é única, nem que seja para que no final, perceba que não precisa de motor para voar!

I-39

4 – Roda de cauda

Esses SS’s que vê quando uma aeronave rola num caminho de rolagem não são apenas divertidos…eles servem para ver o caminho de rolagem/taxiway!!

A grande maioria dos pilotos nunca experimentou voar ou treinou rolar com uma aeronave de roda de cauda. Não são só divertidas como melhoram a proficiência no leme e habilidades gerais na manobrabilidade de uma aeronave.

A-20

5 – Condições de Voo por Instrumentos, IMC

Não estamos a falar aqui apenas de entrar em condições marginais de visibilidade, estamos a falar única e exclusivamente em voo por instrumentos.

Voar dentro de nuvens ou mau tempo são em muitos países um grande factor de acidentes mortais na aviação. Experimente a voar IMC com um instrutor de voo qualificado numa aeronave certificada para tal e sinta porque nunca deve entrar dentro de nuvens sem estar devidamente habilitado e com uma aeronave devidamente equipada.

CAVOK_LM_Nome do arquivo-153

6 – Uso de um Aeródromo de Classe Charlie ou Delta

Como é a sua proficiência em fraseologia? Estará pronto para ir a um aeródromo controlado, movimentado e receber autorizações de voo? Para rolar apenas quando estiver autorizado e movimentar-se entre mais aeronaves de outras classes como jatos ou multi-motores? Seguir num rumo ou rota que lhe é imposto pelo Controlador de Tráfego Aéreo? Subir e descer quando é instruído  para o fazer?

IMG_8186790081078

7 – Voo de montanha

Para além da beleza incontestável, é desafiante!!

A movimentação dos ventos nas várias massas do terreno formando correntes ascendentes e descendentes. As diferenças de temperaturas e comportamentos do motor em altitude… aterrar com windsheers provocados pelos planaltos das pistas em altitudes.

CAVOK_LM_Nome do arquivo-267

8 – Vrille controlada

É uma manobra obrigatória na aviação geral. Embora seja interdita na instrução dos pilotos de ultraleve (por razões de natureza estrutural das aeronaves) é uma manobra que deveria ser experimentada pelo menos uma vez para se sentir a desorientação espacial que origina.

Mais uma vez, esta é uma das manobras que deverá ser sempre e apenas executada numa escola e com um instrutor qualificados!!

A-11

José Rocha. 26 Agosto 2016 . Com a preciosa ajuda de Luís Malheiro e fotos de Luís Malheiro, Pedro Ferreira, Filipa Lindmark e Luís André Diogo.

4 comments

  • Carlos Costa

    1 – check
    2 – check
    3 – check
    4 – check ( e é absolutamente inolvidavel. voar sem headsets com o variometro desligado só a ouvir o o vento. Melhor ainda se ousar fazer 1 + 3 no mesmo voo)
    5 – to be done
    6 – to be done
    7 – Check.
    8 – check. Creio que devia ser “obrigatória”. A vril é tida quase como o “bicho papão” da aviação. É a situação onde ninguém quer entrar e “Deus nos livre” que aconteça.
    Experimentar intencionalmente e em segurança é a melhor forma de a reconhecer (e acima de tudo evitar)

    Excelente check list.
    Obrigado José Rocha. Hoje sinto-me um priveligiado!

    • Carlos Costa

      Há outro Carlos Costa!

      Já agora aproveito para fazer também o meu chek list
      1 – check
      2 – check
      3 – check
      4 – check (e quero mais)
      5 – check (mas pouco)
      6 – check
      7 – Check (mas pouco)
      8 – check.

      Carlos Costa

  • João Branco

    Boa lista

    Felizmente já fiz a maioria… Infelizmente não com a frequência que gostaria…
    Os planadores são uma falta muito importante que ainda tenho de preencher…

    Só tenho a acrescentar uma á lista… Voar para fora da atmosfera ou (se isso fôr areia a mais para o orçamento), subir acima dos 50000ft e vêr um cheirinho da curvatura da Terra e o negro do espaço por cima… Também vale se fôr com um balão de hélio preso ao traseiro e um páraquedas (fica mais barato e a vista é a mesma…)

  • António Palma

    Juntava mais uma experiência à lista: VOO de BALÃO DE AR QUENTE.
    Voo em tudo diferente, uma experiência inolvidável. Começa-se logo com sensação de que não se está ” a voar”, mas sim, ” a flutuar”…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *