AEROUBI-Universidade da Beira Interior

No âmbito de uma visita ao Departamento de Ciências Aeroespaciais, coordenada com a incansável Eng.ª Sandra Antunes e apoiada pelo Eng. Rui Paulo, visitámos também o Núcleo de Estudantes do Departamento de Ciências Aeroespaciais da Universidade da Beira Interior, no passado dia 16 de Dezembro de 2015.

received_10153697908423257

Fomos aí muito bem acolhidos pelo seu Presidente da Direcção da AGM, Adriano Andrade e mais dois colegas, eleitos para o ano lectivo 2015/2016, que nos integraram no espírito de equipa que se vive e sente na UBI como sendo “a nossa segunda família!”.

Saliento antes de mais, que o cavok.pt foi excepcionalmente bem recebido pelos principais responsáveis do Departamento de Electromecânica, Doutora Anna Guerman e Professor Fernando Santos e do Departamento de Ciências Aeroespaciais, Professor Francisco Brojo, Professor Pedro Gamboa e Professor e Aviador Miguel Silvestre. Sem esses apoios, o detalhe e profundidade da nossa visita não teria sido possível. Em breve daremos informações mais detalhadas, dos cursos e valências desta Universidade da Covilhã, nos artigos que estamos a preparar com base nas entrevistas que nos forneceram.

O Núcleo, mais conhecido pelo AEROUBI, representa os alunos aeronáuticos da Universidade da Beira Interior na Covilhã e serve de apoio a todos os estudantes, disponibilizando várias valências que vão desde a própria integração dos alunos, a esclarecimentos de questões sobre os vários cursos disponibilizados por esta bela Universidade, facultando ainda uma base de dados extensa e actualizada “com cerca de 10Gb e cerca de 1700 ficheiros” de documentos necessários para cada disciplina. Esta base de dados, criada a 6 de Março de 2013, disponibiliza actualmente mais de 1700 ficheiros, tendo tido já mais de 94 mil downloads.P51216-112338

A AEROUBI organiza também convívios, actividades, formações e palestras (nomeadamente as famosas Jornadas Aeronáuticas da Covilhã).

Está a preparar um Fly-In/Festival Aéreo para finais de Abril de 2016, como anteriormente o fez, em anos de glória da aeronáutica da Covilhã, antes de lamentavelmente o Aeródromo Municipal da Covilhã (o mais antigo do país desde 1946 que servia a Cova da Beira onde eram feitos os voos para Bragança, Vila Real e Lisboa) ter sido “roubado” em Setembro de 2011 à sua população pela então edilidade camarária. Este Fly-In/Festival Aéreo 2016 será a realizar “na nova pista de Castelo Branco com o apoio da Câmara Municipal de Castelo Branco” disse Adriano.

P51216-112322Constituí portanto um grupo de pró-activos e dinâmicos estudantes, este Núcleo que tem um espaço físico próprio no pólo das Engenharias, apoiando quem os procura em cursos CAD, promovendo Workshops e desenvolvendo encontros de conhecimento em articulação com outras Universidades.

“É um trabalho continuado que tem uma espinha dorsal ao longo dos anos” explicou-nos entusiasticamente Adriano.

À AEROUBI chegam ainda várias informações e contactos de empresas do ramo da aeronáutica nacional, institutos e outras congéneres nacionais e internacionais que por via dos vários protocolos de entendimento propõem formações, palestras, seminários, empregos, estágios ou pós-graduações.

À AEROUBI desejamos muita sorte para este ano lectivo e que não deixem cair os  grandes projectos que têm em mão, dando assim continuidade aos seus antecessores e à excelente politica aeronáutica desta bela e dinâmica Universidade.

Agradecemos a amável e interessante visita que nos proporcionaram. Bem hajam!

José Rocha

2 comments

  • Jose Miguel Casaca Silva

    Fico muito feliz que o pessoal da UBI esteja a tentar fazer renascer as jornadas Aeronáuticas! Tive o prazer de conhecer alguns membros do AeroUbi em agosto deste ano! É notável o seu trabalho quer a nível de organização de eventos como de proficiência e desempenho nas competições de aeronáutica!

    Parabéns!

  • Henrique Anes Gonçalves

    A licenciatura em engenharia de Ciências Aeroespaciais na UBI é contra natura! Não conheço em Portugal uma cidade em que o Executivo Municipal tivesse tão ostensivamente desprezado as coisas da aviação! Em um país decente a destruição de uma infraestrutura aeroportuária como a da Covilhã para no lugar ser edificado um mamarracho inútil, teria no mínimo sido alvo de um processo de averiguações por parte das autoridades competentes.
    Essa licenciatura seria por razões óbvias naturalmente da Universidade de Évora!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *